Poema de aniversário

Encontro-te hoje firme rumo a outras danças

A esbaldar-te ainda na mesma tenra beleza

E posto o inevitável, quanta tristeza!

Vê a vida como chega sem compaixão

A ordenar-te que envelheças, austera

Condenada a mais uma primavera!

Peça a benção, não sem tempo

E viva religiosamente devota ao teu talante

Mas que não sejas fria, tampouco arrogante!

Espero que o porvir do tempo seja de tal forma generoso

A mostrar- te, parco, que da alma cura-se as dores

Com um poema, é claro, e um ramo de flores!

E nesta carta, adiciono uns tantos beijos

Para criares estoque.

Cumprimenta-te pela idade

O sempre teu…

Saudade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s